DireitosReservados

DireitosReservados
☆poemasEleonoraMarinoDuarte☆edição&arteWalkyriaSuleiman☆

23 de jan de 2012

Hot

Um anseio desfila
em tua perna nua
na dobra da coxa

Bebem do veneno
na sobra da saliva
os que comentam

Não temas, só trame,
se desviras as pernas
eles reviram os olhos...









foto: BeatrizMasson★Pernósticas

11 comentários:

Tania regina Contreiras disse...

Não temo e tramo...rs Hot poema, com o talento de sempre e o trato poético no espaço inteiro, que é impossível deixar de visitar...

Beijocas,

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Tania...
hot é ter amiga como vc, o resto nem amorna!
bjs da walll

eleonora marino duarte disse...

tanita,

fico feliz por existir o Mnemosine, assim posso ler que tu gostas de nós com gostamos de você!

obrigada, sempre!


um beijo.

eleonora marino duarte disse...

wal.. meu anjo,

eu adoraria que as pernas fossem da musa 4, ou seja, euzinha, mas não são e acho que você se perdeu na cruzada de pernas da moça da foto!!!!!

acho que as pernas são as belas coxas da musa 1.

:)

beijos!

Marcantonio disse...

HOTíssimo!

As linhas externas definem a figura, mas as internas... Caminho, procura.

Beijo.

eleonora marino duarte disse...

marco,

as linhas externas podem conduzir a atenção para as linhas internas.. é um truque feminino!


:)


obrigada por vir, sempre.

um beijo.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

ô Marco, vc é mesmo um cara bacana, artista, amigo, bonito, e fiel! Tasquiopariu, obrigada!

Francisco Coimbra disse...

Fazendo do comentário o que ele não pode ser, deixo um poema acontecer para dar voz a quem não a tem, a personagem que ganha carne no corpo de quem (o) pode sentir (personagem), quem lê! Só que, sendo o personagem inexistente sem o outro que lê, deixemos o outro ler-se onde não tem nada a ler, a não ser de si.
Como olhar o que não existe dá origem à existência de tudo, procuremos o encontro e assim sendo, o exemplo é qualquer. Em vez de um, dois em um… dueto:

MACRO

se aproxima
num por-
menor

maior


o que torna!
Assim

MICRO

diminuindo
até se ter
ilusão

a alusão
toca

o que volta?
Mim

Eleonora disse...

Francisco,

eu aguardo ansiosamente a sua visita, sei que com ela acrescentam-se poemas de teu Outro e da amada de teu Outro, de forma a haver sempre poesia aqui no Mnemosine. Fica garantida a memória do amor. :)

De brinde hoje ainda nos deixa considerações inquietantes sobre a personagem, sobre as imagens das imagens que criamos ao ler o que só existe quando lido. Gosto muitíssimo de suas considerações sobre o ato de criar.

Gosto que você cá esteja...

Beijo***

Francisco Coimbra disse...

RI(S)O

lendo
o que dás
a ler

fico
criando

beleza :)
Assim

A RIR

dou
largas
à língua

fazendo
caretas

à Lua :))
Mim

EMD disse...

Francisco!

:)

caretas de felicidades ao riso do amor!

A lua agradece!

Belo! Belo!
:):):)
beijos***