DireitosReservados

DireitosReservados
☆poemasEleonoraMarinoDuarte☆edição&arteWalkyriaSuleiman☆

10 de mar de 2012

Kali


























Sou um drástico planeta,
o cometa que se suicidou
na tentação da luz definitiva!

Por uma fala furtiva de Deus
pulsei na vaga da lua sem lei
dilacerando coisas ao calar.

Amar nunca valeu a pena,
minha alma, fora de cena,
volta ao pó que do pó eu sei.











foto: CatharinaSuleimanJustSmoke3

11 comentários:

Leonardo B. disse...

[deuses ou demónios feitos do pó que sobrou da criação

do dia, que acontece pulso, a mão que se guia pelo amor, pó declinado da estrela]

um imenso abraço, às musas!

Leonardo B.

Francisco Coimbra disse...

RASGO ABERTO

rasgo aberto no espaço
pelo luminoso raio
ilumina a cena

o perfil encanta
meu canto

deixo-me ir encantado!
Assim

ABERTO RASGO

você chega e o pássaro
do sonho levanta
o voo solto

sem sobressalto
me encanto

toda eu sou teu canto!
Mim

Beijos a elas***

Sylvio de Alencar. disse...

Lindo poema.

Tania regina Contreiras disse...

Um poemaço que deixa seus rastros!
Beijos a todas!

Eleonora Marino Duarte disse...

leo irmão,

pegastes o cometa e seguistes o rastro!

obrigada, sempre!


um imenso abraço,

querido.

R disse...

REDE

enquanto revisito a música
deixo as ideias ganhar
maior consistência

em incrível teia
lançada aqui

onde os versos se unem rede
R

urbanascidades disse...

Urbanascidades convida voce e seus leitores para o seu 2° aniversário dia 21 de março. Sarau cultural com música, literatura e poesia, e convidados muito especiais. Não perca!
Um abraço,
Paulo Bettanin

Eleonora Marino Duarte disse...

R!
Não havia visto o teu comentário.
Escreves muito bem a prosa e quando deixas poema sei que é uma ocasião especial.
Belo poema, obrigada por vir...
Um beijo***

Eleonora Marino Duarte disse...

Sylvio,
obrigada!

Eleonora Marino Duarte disse...

Francisco,

eu preciso dos teus versos....

Beijo***

Eleonora Marino Duarte disse...

Tanita,
saudades