DireitosReservados

DireitosReservados
☆poemasEleonoraMarinoDuarte☆edição&arteWalkyriaSuleiman☆

30 de abr de 2011

Mácula

.




















O sol sobre a pele dela
luminosa flor amarela
deu início a devoção.

Entre homem e maçã
no jardim da Criação
o ciúme foi o motivo

Da claridade à treva
para não dividir Eva
Ele ordenou a expulsão...

Foi um Deus possessivo
quem demoliu o paraíso
ao ver o desejo em Adão.








foto: MárciaBorlengui
com Pentax analógica

25 comentários:

Francisco de Sousa Vieira Filho disse...

Má.aculá...
Não sei se Eva, inocente e bela, mas de Lilith tem muito... causou discórdia entre Pai e filho... :)

betina moraes disse...

imagino as duas sendo a mesma

e depois historicamente recebendo, por força da vingança divina, um nome diferente para cada parte feminina...

francisco, obrigada.

um beijo.

Wania disse...

Oi, Gurias

... e o ciúme é mais um perigo da infinitude, mesmo que bebessem das mesmas águas, ele nunca foi esquecido! O desejo de posse inviabiliza qualquer Paraíso!



Belíssima e sensível visão poética e a foto, no seu jogo de luzes e sombras, é igualmente cheia de significado!

Bjinhos

betina moraes disse...

wania,

você, como boa poeta do feminino é capaz de traduzir como ninguém as ranhuras terríveis do ciúmes para nós.

obrigada por vir, querida.

um beijo.

B disse...

Algo de divino ficou em algum outro amarelo, alguma outra maçâ, algum outro Adão, todas as Evas e um D'eus com memória de elefante.

betina moraes disse...

barbara:

Algo de divino ficou em algum outro amarelo, alguma outra maçâ, algum outro Adão, todas as Evas e um D'eus com memória de elefante.

milu disse...

Forte....era domingo de manhã....bjs.

betina moraes disse...

ah! milu, era domingo!?

beijo!

Francisco Coimbra disse...

Um poema com valor de Bíblia! Linda história, mostrando como se faz... tudo: em poesia. A dimensão lúdica do olhar-ver-sentir-sentidos! Bjs

escotilha disse...

francisco,

bela leitura! que bom contar contigo aqui.

um beijo.

☆mnemosine☆ disse...

Francisco Coimbra

Sempre uma alegria receber gente nova
Cabeças diferentes
Corações irmanados
Bem vindo!

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Francisco

De Eva e Lilith, todas temos um pouco. Aliás...de médico e louco....
Legal te ver aqui.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Wania
legal isso que vc notou. O jogo de sombras e luz, do tema, do poema, da foto. Nada como ser poeta, heim menina!
obrigada por estar por aqui

Walkyria Rennó Suleiman disse...

B
sério, algo de tudo, pouco de nada e um Deus por sobre nossas cabeças. Ai, que até dá meda.

No fim, só com ele nos havemos.

Querida, como gosto de seu modo sacrílico de ver o sagrado

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Milu

sabe, sei lá, acho que era domingo mesmo. Pensa bem, ninguém é expulso numa segundona.....
E tinha que ser domingo pra dar maior credibilidade. Sunday, dimanche,diumengue, dia do sol, dia do Deus solar.

isso aí Miluzita

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Francisco Coimbra
ai que bom, mais um poeta na nossa roda
Bem vindo!

Walkyria Rennó Suleiman disse...

BB to da proza e verso....ehehhe

romério rômulo disse...

gostei.
salve, poetas!
romério

BLOG DO PROFEX disse...

Um Deus ciumento... pode sim. Não fomos feitos à imagem e semelhança Dele?
Bom início de semana proceis!

betina moraes disse...

romério,

obrigada!

salve!

betina moraes disse...

profex,

sendo nossa imagem e semelhança, pode sim, só pode, não é?

boa semana para você também.


beijo.

guru martins disse...

...a arte quando
se utiliza
da filisofia
e da ideologia
pra se expressar
entra num caminho
perigoso pois
bate de frente
com dois pesos pesados
tradicionais da reflexão...
mas pode produzir
beleza de nível superior
como agora.
voces acertaram na cachola!!!

bj

betina moraes disse...

guru,

a poesia é mais livre do que a filosofia e muito maior do que a religião!

mas você já sabe disso desde que nasceu.

um beijo, querido.

Walkyria Rennó Suleiman disse...

Profex
eu diria que vc e a betina acertaram em cheio nessa afirmativa

☆mnemosine☆ disse...

Guro
Bb

Que seria do instituído sem o caos?